domingo, 6 de agosto de 2017

Top 5 | itens da moda que odiava e agora não vivo sem

Entra ano, sai ano e a moda vai mudando, ou nem tanto... Tendências vão e voltam e provavelmente você deve estar usando neste exato momento algo que tenha referência a outra década. Os anos 80 e 90, por exemplo, estão invadido os armários sem nem percebermos e com certeza você já se pegou adorando algo que há pouco tempo atrás achava cafona, estranho e nem imagina que hoje iria usar. É disso que quero falar neste post.

Separei cinco itens da moda atual que até há alguns meses atrás eu nem pensava em inserir nos meus looks... Quer saber quais são? Vamos lá!


1. Choker

Quem se lembra daquelas gargantilhas que imitavam tatuagem dos anos 90? Realmente essas eu continuo achando péssimas, mas as gargantilhas voltaram de outras formas e de vários tipos, das mais delicadas às mais ousadas para contemplar todos os estilos. Eu mesma não tiro do pescoço pois acho que completa muito bem os looks.

Choker anos 90
A primeira, dos anos 90, e as outras mais atuais e bonitas.

Antes de comprar a primeira (que foi R$3,00 na Saara e é a que eu mais uso), achava que ia incomodar ou ia ficar com aparência de adolescente. Que nada! Se você nunca usou, recomendo experimentar. O único perigo é se viciar!

2. Cintura alta

Lembro de ver fotos minhas de criança e achar bem estranho aquelas roupas "santropeito", afinal minha adolescência foi marcada pelas calças baixas, que não consigo mais me imaginar usando. Elas deformam e não valorizam em nada a silhueta feminina.

Cintura baixa
Britney e eu mandando ver na cintura baixa no início dos anos 2000 hahaha

Quando as calças de cintura alta voltaram ao cenário da moda resisti e tive muito preconceito, mas agora acho muito mais bonitas e justamente aquelas bem altas, não apenas as que tapam o umbigo. Isso também serve para shorts e saias, acho mais elegante, vocês concordam?

Inspirações looks com cintura alta
Lia Camargo | Camila Coelho | Eu


3. Moletom

Sempre achei roupa de dormir no frio, até começarem a aparecer nas lojas os estilos mais femininos, ajustados e com pegada fashionista. Pronto, agora não tiro mais e acho que minhas seguidoras do Instagram @achados_rj já cansaram de ver tantas fotos com o moletom que mais uso, que foi apenas R$24,99 na loja Citycol (foto abaixo).

Inspirações looks de moletom
Thássia Naves | Bruna Marquezine | Eu


4. Saia midi

Introduzido pela Coco Chanel nos anos 20, o comprimento voltou a ser usado e até há pouco tempo achava que não me favorecia, afinal tenho 1,58m de altura. Mas quer saber? Tô nem aí! hahaha Realmente existem roupas que favorecem mais cada tipo de corpo, mas acredito que não dá para viver presa nesses padrões. Já é hora de nos libertarmos dessas limitações e, se você se sente bem com uma roupa que dizem não cair bem, por que mudar seu gosto apenas para agradar aos outros?  

Inspirações looks com saia midi
Dani Noce | Marina Rui Barbosa | Eu

5. Tênis

Outro item que não curtia, pois achava esportivo demais e difícil de combinar. Alguns modelos mais delicados apareceram e eu comecei a inserir aos poucos nos meus looks. Agora adoro usar com saia e vestido, coisa que há uns anos achava impossível!

Inspirações looks com tênis branco
Karol Pinheiro | Luisa Accorsi | Eu

Me diverti muito fazendo esse post e acabei descobrindo que tem muito mais de cinco itens... Tô pensando em fazer a parte 2, o que acham? Compartilhem comigo nos comentários se querem a continuação desse assunto e se vocês também têm itens que não curtiam, mas agora amam.

Bjs,



quarta-feira, 26 de julho de 2017

Achados Leader | Preview Primavera/Verão

A Leader é uma marca que me acompanha desde criança e ainda faz parte do meu dia a dia. Quem me acompanha no Instagram @achados_rj confere os vários achadinhos que faço em suas lojas e o quanto a empresa está cada vez mais preocupada em atender a todos os públicos.

A felicidade de quem pôde conferir em primeira mão a nova coleção.

Fiquei extremamente feliz em receber o convite da Leader e da FSB Comunicação para conferir o preview da nova coleção, que estará nas lojas em setembro. As peças estão lindas, contemplando as principais tendências e apostas do mundinho fashion. Fiquei encantada com as estampas e os preços, que estão bem acessíveis. 

A coleção é "democrática, contemporânea e inclusiva", pois há espaço para todos os gostos, desde os mais clássicos aos mais modernos, e para todos os tamanhos, do PP ao GG. 

Há muita inspiração rocker, tropical e clean, passando do tie dye às estampas mais divertidas. Pantacourt, pantalonas e croppeds vão continuar fazendo a nossa cabeça na próxima estação e as camisas alongadas masculinas serão nossos vestidos descolados.


A coleção exclusiva para o Rock in Rio também foi toda pensada para um estilo confortável, despojado e atual, não só para ser usado no evento, mas em qualquer época. Preto e grafite ainda são as cores predominantes, mas o toque de rosa deu vida na parte feminina (foto abaixo). Há também as camisas clássicas de bandas como Beatles, Aerosmith e Nirvana.

Bora escolher o look para o Rock in Rio?

Vamos destrinchar mais um pouquinho a nova coleção?

Moda feminina

Vi muita inspiração tropical: flamingos, flores, listras e chevron com floral. Amarrações e aberturas laterais em vestidos e macacões também estão presentes. A cor rosé continuará queridinha para minha alegria.



Moda masculina

Realmente a moda "sem gênero" está cada vez mais forte nas araras. Vi várias camisetas maravilhosas que eu queria no meu armário! Além do floral ganhar espaço, outra tendência forte que chegará por aí é a "espacial", com estampas psicodélicas e inspiradas em galáxias. 



Moda Praia

A Leader veio caprichando nessa parte. As estampas estão de arrasar! Além de biquínis e maiôs, haverá um grande investimento em cangas, saídas de praia, óculos e chapéus. 



Além do vestuários, bolsas e acessórios também virão caprichados. Mas para conferir tudinho, só aguardando chegar nas lojas.

E aí, o que acharam?

Bjs,





sábado, 15 de julho de 2017

Microblanding | Passo a passo do meu procedimento

"O que é Microbanding? Dói? Dura quanto tempo? Quais são os cuidados? É tipo tatuagem? Com que você fez?".

Essas foram apenas algumas perguntas que surgiram no meu perfil do Instagram @achados_rj quando fiz o procedimento nas minhas sobrancelhas há três meses. Prometi fazer uma post sobre todo o procedimento, mas ele saiu só agora porque eu queria ter certeza de que no final ia dar tudo certo e que eu ia curtir realmente a mudança, afinal foi uma baita mudança! Olha só:



Eu nunca tinha nem feito as sobrancelhas com profissional. Desde os 15 anos fazia sozinha, em casa mesmo, e tentava defini-la com maquiagem. Mas conheci a técnica e, vendo como ficava lindo nas pessoas, resolvi fazer. 

Foi uma boa pesquisa antes para ter certeza se eu queria mesmo fazer e para saber a diferença entre micropigmentação e a microblanding - "e qual é a diferença, Nati?". Como não quero tornar esse post uma resenha técnica, mas sim dar o meu relato, vou fazer um resumo: as duas fazem o mesmo, que é aplicar um pigmento na camada mais superficial da pele simulando os fios da sobrancelha. Porém, enquanto na micropigmentação o aparelho usado é o dermógrafo, na microblanding usa-se o tebori, que permite fios mais finos, precisos e mais naturais. A duração é entre um ano e um ano e meio conforme cuidados e tipo de pele, então não é como tatuagem, que dura para sempre, justamente porque o tebori chega apenas à camada superficial da pele, enquanto o aparelho específico de tattoo vai à mais profunda. Para mais detalhes, recomendo que procure um profissional da área, pois não quero informar nada errado, ok?

"E como se faz?" Primeiro o profissional vai desenhar sua sobrancelha de acordo com o seu rosto, dando a sugestão do que fica mais harmonioso... Após os rabiscos com o lápis branco, há o preenchimento com lápis e é nessa hora que você simula o resultado, dá suas sugestões e diz como quer ou não, pois depois disso não tem volta... O procedimento, apesar de ter anestésico, é dolorido, mas suportável. Umas pessoas sentem mais outras menos, então é difícil comparar se dói mais que uma tatuagem, por exemplo. Da conversa, definição do desenho e o procedimento em si, tudo durou mais ou menos uma hora e meia.

"E depois, acaba por aí?". Não! Após sair com as sobrancelhas bem escuras do pigmento, relaxe pois ainda tem alguns dias de cuidados. Parece que ela nunca vai clarear, mas depois de uns 10 dias ela começa enfim a ficar mais natural. Eu demorei um pouco a me acostumar pois eu mudei completamente o formato, mas isso é gradual... Conforme os dias foram passando não me via mais sem elas e só depois percebi como minhas sobrancelhas antes eram ralas e falhadas.

Postei no meu Instagram todo o processo de cicartização.

Dentre os cuidados para a cicatrização - afinal, você fez feridinhas na pele -, alguns são: usar bepantol, não lavar o rosto no primeiro dia, passar gelo na área, evitar alguns alimentos, não pegar sol ou tomar banho de mar por alguns dias... Mas isso quem vai te passar direitinho é o profissional ;)

Depois de dois meses, se precisar, tem o retoque. Recomendo fazer os cuidados direitinho para a pigmentação "pegar" bem na pele, afinal ninguém merece fazer tudo de novo! Inclusive hoje foi o meu e tive que retocar poucos fios - amém! 

"Contou tudo, mas não o principal: que fez a microblanding em você?". Fiz com a Talita, uma profissional super competente e atenciosa que foi indicação de uma amiga. Recomendo muitíssimo, afinal ela é maravilhosa e tem o preço mais acessível que pesquisei. Quem quiser fazer o orçamento é só entrar em contato pelo Instagram @talitadesignersb. Ela atente em São Gonçalo e Niterói.

Espero que tenham gostado do meu relato! Mas agora conte você: já fez? tem vontade? o que achou da minha mudança?

Bjs,